terça-feira, 23 de outubro de 2012

PÊNFIGO FOLIÁCEO EM FELINOS




É a dermatose autoimune mais comum em gatos.


Embora mais comum em gatos adultos jovens, com idade

entre 2-5 anos, a idade de aparecimento é muito variável,

podendo variar entre menos de um ano de idade até gatos

com mais de 17 anos;


A doença tem sido relatada na maioria das raças felinas.


As lesões consistem de máculas eritematosas que progridem rapidamente para uma fase pustular e depois se parecem com uma crosta seca e amarela. Essas lesões podem se limitar as regiões dos pavilhões auriculares,periorais, perioculares, do focinho dorsal do plano nasal ou dos leitos ungueais, como também podem ser generalizadas;

Os animais podem se apresentar com hiperqueratose (descamação) acentuada dos coxins podais, com ou sem envolvimento do leito ungueal. As unhas ficam geralmente normais. Os gatos exibem comumente uma paroníquia acentuada (infecção da pele que rodeia a unha) , que surge como um centro de exsudativo “caseoso” espesso nas unhas.

As lesões mucocutâneas e orais são raras e o prurido é variado (1)



Diagnóstico

O esfregaço direto de uma pústula intacta ou da superfície por baixo de uma crosta

espessa revela muitas células acantolíticas;


Os achados histopatológicos incluem pústulas subcorneanas e/ou intragranulares

com células acantolíticas;


O hemograma completo, o perfil bioquímico sérico e a urinálise não são diagnósticos para

o Pênfigo Foliáceo;


Os testes de anticorpos imunoflorescentes diretos e os testes de coloração com imunoperoxidase direto ficam positivos, com coloração intercelular da imunoglobina e/ou

do complemento do terço superior da epiderme;

Os testes de anticorpos antinucleares ficam negativos.(2)



Prognóstico


Varia de regular a bom, porém, normalmente, há necessidade de tratamento por toda a vida do animal para manter a remissão. O monitoramento regular dos sintomas e a realização de exames são essenciais para os ajustes no tratamento. Complicações potenciais da terapia imunossupressora incluem efeitos colaterais indesejáveis da droga e infecções bacterianas, dermatofitose ou demodicose induzida pela imunossupressão.(3)



Fonte: Atualização em terapêutica Veterinaria. Fármacia de manipulação Vida Animal .

Janeiro 2012



1. John C. Angus, DVM, Diplomate ACVD Southern Arizona Veterinary Specialists Tucson, AZ DERMATOLOGY SECRETS: PEMPHIGUS

FOLIACEUS IN CATS. Proceeding of the NAVC North American Veterinary Conference. Jan.- 182, 2005, Orlando, Florida

2. BOCARDO M, LOPES RMG, PREEIRA REP. DOENÇAS AU-TIMOUNES EM GATOS. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária,

Ano VI – Número 11 – Julho de 2008 – Periódicos Semestral, Acesso em: www.revista.inf.br – www.editorafaef.com.br

3. MEDLEAU.L/HNILICA.K.A- Dermatologia de pequenos animais -Atlas colorido e guia terapêutico.São Paulo, Roca, 2003.



Um comentário:

  1. Essa matéria me ajudou muito, pois fiquei apavorado pensando que meu gato tinha câncer. Levei ao veterinário que confirmou o diagnóstico. Apesar de morrer duas semanas apos o inicio do tratamento, por atropelamento, ele já tinha melhorado bastante.

    ResponderExcluir

COMENTÁRIOS E ELOGIOS SOBRE O BLOG

Olá Doutora, fiquei muito feliz em encontrar alguém que esclareça nossas dúvidas . Anônimo Olá! achei suas explicações bem esclare...