segunda-feira, 25 de março de 2013

URTICÁRIAS e ANGIOEDEMAS


Foto 1


Foto 2


Foto3
                      
                
O angioedema é um inchaço, similar à urticária, mas que ocorre sob a pele ( foto2) e não na superfície da pele. A urticária é geralmente chamada de vergão. Ela é um inchaço na superfície da pele (foto 1, em humano, e foto 3 , no cão). Também é possível apresentar angioedema sem ter urticária.
                                                                 

Causas                        

 Ambos podem ser causados por uma reação alérgica. Durante a reação, a histamina e outras substâncias químicas são liberadas na corrente sanguínea. O corpo libera histamina quando o sistema imunológico detecta uma substância estranha chamada de alérgeno.

Muitas vezes, a causa nunca é descoberta.
Possíveis causadores :                               
  • Exposição à água, luz do sol, frio ou calor (urticária não imunologica)
  • Alimentos( proteinas alimentares, corantes, glúten..)
  • Picadas de insetos, acidentes com artópodes( abelha, formigas..)
  • Medicamentos (alergia a medicamentos), como antibióticos (amoxacilina,penicilina e sulfa, FOTO 1) drogas anti-inflamatórias não esteroides (AINEs) e medicamentos para pressão arterial (inibidores da ECA, enzima conversora da angiotensina)
  • Pólen
  •  vacinas, bacterinas, agentes infecciosos, parasitas..

Sinais clínicos:
Urticária: eritema, prurido, pápulas e placas eritematosas, pelo ouriçado, vergão
Angioedema: aumento de volume tecidual/edema em lábios, orofarange, pálpebras, locais de picadas...
Pode obstrução das vias aéreas/ edema de glote!!
É dolorosa, pois distende o tecido.

Dra. Andrea Fermann Nagelstein


sexta-feira, 1 de março de 2013

Papilomatose em cães


Papilomatose canina é uma doença infecto-contagiosa viral causada pelo vírus Papilomavirus que apresenta-se clinicamente por papilomas orais , oculaes  e cutâneos ( mais raros) benignos e autolimitantes.
Ocorre , com maior incidência em cães com menos de 2anos de idade, porém pode afetar todas as faixas etárias.
A transmissão ocorre por meio de contato direto, e/ou pela fricção de fragmentos de tecido das lesões em mucosas lesionadas,  o que demonstra grande capacidade de transmissão.
Aproximadamente quatro a oito semanas após o contato o animal inicia a manifestação dos sinais clínicos: hiperplasia tecidual, elevações lisas e brancas da mucosa que evoluem para verrugas com aspecto de "couve-flor". Geralmente aumentam em número e tamanho por 4-6 semanas , e após começam a regredir.
O cão geralmente apresenta halitose, sialorréia, relutância em se alimentar e/ou dificuldade de ingestão de alimentos.
Estas podem sangrar facilmente podendo levar aquadros anemicos.
Em virtude do comportamento auto-limitante, na maior parte de casos não há necessidade de tratamento. Mas quando esta causando qualquer injúria ao animal é preconizada a terapia.
Tratamentos homeopáticos, auto hemoterapia, drogas imunoterapias, eletrocirurgia/crioterapia  são alguns tratamentos que poderão ser adotados dependendo do caso.

Dra. Andrea Fermann Nagelstein

COMENTÁRIOS E ELOGIOS SOBRE O BLOG

Olá Doutora, fiquei muito feliz em encontrar alguém que esclareça nossas dúvidas . Anônimo Olá! achei suas explicações bem esclare...