domingo, 23 de setembro de 2018

23 DE SET : DIA DA CONSCIENTIZAÇÃO DA DERMATITE ATÓPICA

A Dermatite Atópica é considerada hoje a principal doença de pele de cães.
É uma doença genética, alergo- inflamatória, crônica, recidivante e multifatorial, o que a torna uma patologia de difícil controle .
Má notícia: Não há cura !
O paciente é tendencioso geneticamente a fazer reação alérgica- inflamatória frente a alérgenos ambientais , ectoparasitas, alimentos .. muitos são os irritantes e agravantes para esse paciente .
Sua pele é geneticamente desequilibrada e mal estruturada o que a torna fraca como barreira permitindo a entrada desses alérgenos , mais exposta a injurias e predisposta a infecções secundárias.
Devido a esses defeitos imunológicos e não imunológicos, o cão apresenta
Coceira, perda de pelos, vermelhidão, pele hiperpigamentacao e espessa( fases mais cronicas) , infecções secundárias e otites de repetição.
A boa notícia : é que é possível o controle!
O objetivo é reduzir suas crises e buscar o equilíbrio e bem estar do paciente .
O profissional especializado acompanha de maneira individual o paciente , observa sua doença como um todo, suas manifestações , busca minuciosamente seus irritantes e propõe um protocolo terapêutico Individual
Cada caso é um caso. Não há receita de bolo .Nenhum medicamento fará milagre e nem deve ser usada sem supervisão
Por ser uma doença multifatorial a obtenção do controle é de médio -longo prazo
A manutençao será eterna!
Mesmo assim é possível que o cão tenha crises quando tiver contato com seu alérgenos e/ou a pele desequilibrar.

Exige muita dedicação do profissional e colaboracao dos tutores

Bom não sei se essa ⬆️era exatamente a boa notícia que esperava ....🤣

Lá vai uma noticia melhor:

Cada vez mais pesquisas no assunto e inovações diagnósticas e terapêuticas são lançadas.
Vamos aproveitar o que a ciência e a tecnologia nos oferece e aplicar com sabedoria e cuidado nos nossos pacientes.

Além das exclusões alérgicas realizadas na prática, a melhora da barreira cutânea e sua redução de infecções. Testes alérgicos são oferecidos como ferramentas importantes para obtenção de mais informações sobre os alérgenos do paciente.
Através desse conhecimento , aliado a história clinica do paciente é possível realizar a Imunoterapia alérgeno-especifica .
Visto que é uma dermatite multifatorial , o tratamento é multimodal! Envolve desde manejo, redução de irritantes e infecções secundárias,  reforco da barreira cutânea , uso de medicações e/ou imunoterapia

Dra Andrea - Especializada em Dermatologia com ênfase em Alergologia
Serviço pele pet
Disponibiliza consultas e Testes alérgicos

terça-feira, 18 de julho de 2017

BANHOS TERAPÊUTICOS EM ANIMAIS



Banhos terapêuticos
Geralmente as dermatopatias requerem um conjunto de condutas terapêuticas, tanto de forma sistêmica como tópica. E uma complementa a outra.
O banho terapêutico, contendo produtos medicamentosos na pele, quando bem realizado desempenha um papel essencial para o tratamento coadjuvante de doenças de pele.
O Médico veterinário orientará os produtos do banho, a freqüência deste , o modo de utilizar, assim como outros detalhes do banho.  Um dos principais pontos a ser obedecido é o
TEMPO DE AÇÃO DO PRODUTO APLICADO SOBRE A PELE.  Somente com o cumprimento do tempo estipulado é que temos a real ação do produto medicamentoso na pele.
Melhor ainda se massagear a pele com o produto aplicado, mais penetração e ativação do principio ativo na pele

Toda essa orientação deve ser rigorosamente obedecida. Tem um motivo!
Segue algumas dicas para um banho terapêutico eficaz. Ele pode ser realizado tanto em casa ou nas estéticas de animais:
A pelagem mais baixa facilita a entrada do produto tópico na pele!

Banhos em casa
-Sempre preferível para animais alérgicos em fase inicial de terapia ou em crise
(menos aerossóis ambientais, ectoparasitas , estresse ) ;
-Deve ser realizado em um momento que  você dispor de tempo.Ele é mais demorado;
-Quando a pessoa sabe banhar e secar corretamente o pet .
-Água e secador em temperatura adequada. Ao secar cuidar olhos , e não aplique o secador muito perto da pele.
- Dias mais frios, mantenha o local do banho mais aquecido e cuide trocas bruscas de temperatura( por exemplo, na saída do animal do banho) ;
-Os produtos devem ser massageados na pele do animal respeitando o tempo indicado.
-Não utilize rasqueadeiras em animais alérgicos e/ou de pele seca

Banhos em estética :
LEVE NA ESTÉTICA QUE VOCÊ CONFIA E/ou QUE TENHA VITRINE
 -Agende para dias menos movimentados da estética , evite sextas e sábados por exemplo;
-Mantenha o antipulgas /carrapaticida em dia para evitar que seu pet seja picado na estética;
-No check-in , entregar os produtos que serão utilizados, informando as etapas , tempo que o produto deve agir na pele , e algum detalhe em especial.   Nunca deixar os produtos na estética ! Mesmo que confie. Errar é humano!
Toda a ida à estética, todas as informações devem ser novamente repassadas , pois por mais mais boa vontade do profissional , não podemos nos assegurar que ele memorize cada detalhe de cada paciente;
- Evite o uso de rasqueadeiras sob a pele (escova de cerdas pontiagudas ). Embora macias, são traumáticas para a pele alérgica e/ou atópica. Para estes pacientes escovas com pontas revestidas são as mais indicadas e sem colocar muita força ao escovar (quanto menos atrito melhor). Você pode levar a escovinha de seu pet para a estética
-Lembrando Banhos Medicamentosos não são tão “Estéticos “.  Por isso nem sempre saem tão perfumados e com frufrus..  Mas é hora  de tratar a pele e após o tratamento poder embelezar novamente  ;0


Dra. Andrea F. Nagelstein – Dermatóloga de animais . Fone: 51 9981 11689
(favor fazer referência caso compartilhar)



sexta-feira, 26 de maio de 2017

Cuidados com a pele do pet no inverno

CUIDADOS COM A PELE DO CÃO ALÉRGICO NO INVERNO

Nas estações de frio também devemos nos atentar com a saúde da pele de nossos pets pois aqueles com maior predisposição à pele seca tendem a ressecar mais a pele, e consequentemente desenvolver dermatites.

Algumas causas de ressecamento no inverno: 

- Uso de roupinhas por longos períodos;
- Nós ocasionados por roupinhas;
- Redução de higiene e de cuidados tópicos devido ao frio para banhá-los ou aplicar produtos;
- Redução dos exercícios físicos. Ficam muito tempo na caminha, em seu ambiente interno , dormindo , Consequentemente aumentam o peso;
-Banhos muito quentes, secadores muito quentes;
-Frequência de banhos inadequada para o pet em questão
Dicas para evitar o ressecamento :
-A freqüência de banhos e tosas do seu pet modifica na estação fria.
Converse com o vet de seu pet para saber qual a indicação ideal para ele
- Agende o banho para dias mais ensolarados e não úmidos Embora frio, tenha cuidado com a temperatura da água. Nem muito quente , nem muito fria.

Lembre que cães toleram o frio um pouco mais que humanos; Secá-lo com toalhas macias e secador. Este em temperatura morna agradável mantendo-o longe do olhos e da pele do pet.
- Continue a rotina de passeios e exercícios. Prefira horários não tão frios para passear ;
- Continue com a rotina de higiene de panos, roupinha e camas de seu pet , com produtos adequados
- Pode usar roupinha, porém evite textura de lã, e não a deixe em seu pet por longos períodos .
Dica : Prefira tecidos hipoalergênicos e/ou edredons ,e texturas de fácil limpeza
Muitos cães gostam de dormir em “tocas”, caminhas tipo Iglu. Esse tipo de cama é interessante pois o pet fica bem abrigado , e não necessariamente há necessidade de muitos panos e roupinha.
Reserve a roupinha para horários extremamente frios, momentos em que seu pet se deparará com uma mudança repentina de temperatura ( ex, saída do banho e tosa, hora do passeio) ;
Mantenha a casa mais aquecida para não ter que usar muito a roupinha .
- Escove a pelagem com freqüência, pois devido as roupinhas, nós podem se formar no corpo do animal ;
-Evite contato direto e/ou muito aproximado com aquecedores, lareiras... Além de ressecar pode gerar queimaduras no seu pet
- Continue com as aplicações do Spray ou Loções hidratantes indicados pelo veterinário .
Muitas vezes estes são soluções aquosas, e daí não tão frequentemente aplicados pelo proprietário na estação fria, mas é extremamente importante a continuação das aplicações.
Dica: Aplique o hidratante num ambiente mais quentinho da casa
Use com abundância após o banho, com a pele ainda úmida.

O vaporzinho do banheiro auxiliará na penetração da solução hidratante no corpo do animal.
Dias em que não vai tomar banho, pode utilizá-la com auxílio de gaze
Poderá também obter a fórmula hidratante em apresentações diferentes , como cremes, géis ou lenços umedecidos. (converse com o veterinário)
Utilize o hidratante nas áreas de maior ressecamentos e dobras.
Faça uso da solução hidratante como um “Banho a Seco” de seu pet.
Como o intervalo de banhos é espassado, a solução pode servir para a higiene e hidratação de seu pet, sem necessitar que o molhe por completo

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Pode tosar animais no verão?



Tosar ou não tosar no verão??


Há muito polêmica nesse assunto. Tenho lido diversos posts discutindo essa questão. Discussões “8 ou 80” . Deixar animais completamente pelados , ou não tosar nada. Discussões generalistas (generalizando todos os tipos de pelagem), confundindo as pessoas.


Nessa época de calor intenso é comum observar seus animais deitados no piso frio, ofegantes e com a língua toda para fora. E existe essa dúvida se a tosa alivia o calor de fato e/ou se pode prejudicar o animal. É certo que nessa época deve-se redobrar os cuidados em relação ao calor.


Em relação a pele e pelagem :


A pelagem atua como um isolante térmico e evita que o animal perca ou receba calor em excesso. Diferente dos humanos, cães e gatos não têm glândulas sudoríparas, que produzem suor para regular a temperatura corporal, sendo assim, a troca de calor deles é feita na respiração e nos coxins (almofadinhas das patas).


A pele é a barreira física entre o meio externo e o organismo evitando injúrias constantes(físicas, químicas e microbiológicas).Essa barreira é capaz de evitar a perda transepidérmica de água do meio interno, mantendo a hidratação do corpo. Outras funções incluem: regulação térmica, percepção sensorial, ação antimicrobiana(por peptídeos antimicrobianos),e indicador de doenças( externas e internas),...




Alguns cuidados básicos podem ser adotados no dia a dia para aumentar a sensação de conforto térmico do animal. Banhos e hidratações mais frequentes e remoção dos pelos mortos afim de arejar a pele são medidas que ajudam a manter a saúde e a beleza da pele e pelagem.






E a tosa? Sim ou não


Pelo que discutimos entre dermatológos nos últimos dias e através de estudos sobre essa questão, conclui-se que a indicação de TOSAR OU NÃO É BEM INDVIDUAL


O veterinário deve avaliar a necessidade real para cada animal levando em conta a raça, a origem dessa raça, ou mesmo as características dos SRD, ambiente em que vive e a que ele se expõe , se ele tem ou enfrenta algum problema de pele...


Na minha opinião, a tosa mais baixa não é necessária e pode sim causar injurias sobre a pele ,como por exemplo: exposição maior ao sol, falta de proteção da pele, e irritações mecânicas pela lâminas em peles mais sensíveis e/ou ressecadas. Animais de pelagem curta e animais de subpelos ou raças nórdicas é contra indicado ( alopecia pós tosa nestes é uma dermatopatia que pode ser desencadeada)


Mas para os de pelagem longa , que vivem em regiões que não são as de sua origem ( por exemplo, animais do frio em regiões tropicais) , há tosas e escovações que diminuem apenas o volume da pelagem e removem pelos mortos, sem prejudicar a proteção da pele, neste período de intenso calor. Pelo ao contrário, haverá beneficio no sentido de controle de ectoparasitas , e auxilio na penetração de produtos terapêuticos, como por exemplo , hidratantes para os alérgicos. Como foi falado em relação a “percepção sensorial” da pele , há nitidamente um conforto maior pelo animal com a pelagem um pouco mais baixa no período de calor. Por isso que muitos relatam a melhora do estado geral do animal quando realizada a tosa.






Então, nem ”8 nem 80”. Converse com seu veterinário para saber a real inidcação de manejo com a pelagem do seu animal nessa época






Outros cuidados


No verão também é importante oferecer, sempre, água fresca ao pet, evitar passeios em horários de calor intenso e não deixá-los sobre pisos muito quentes, uma vez que as patinhas podem queimar se o pet caminhar em calçadas e ruas superaquecidas pelo sol de verão.


Nunca expô-lo ao sol, e aplicar filtro solar diariamente!






Dra . Andrea F. Nagelstein


Médica dermatóloga de cães e gatos


www.pelepet.blogspot.com


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Preparo para consulta com o Dermatologista Veterinário

DICAS VALIOSAS PARA UMA BOA CONSULTA!


- AGENDE A CONSULTA PARA UM MOMENTO QUE 
VOCÊ DISPONIBILIZA DE TEMPO. A CONSULTA É DEMORADA.;

    - A PESSOA QUE LEVARÁ O PACIENTE AO CONSULTÓRIO 
DEVE SER AQUELA QUE SABE MAIS A RESPEITO DA HISTÓRIA CLÍNICA E ROTINA DELE;

 - NÃO BANHE E NEM APLIQUE NENHUM PRODUTO NA PELE DO PACIENTE, 
PELO MENOS 7 DIAS ANTES DA CONSULTA.
 ISSO OTIMIZARÁ A COLETA DE MATERIAL PARA EXAME 
JÁ NO PRIMEIRO DIA DA CONSULTA;

- NÃO LEVE CRIANÇAS OU OUTRO ANIMAL NA HORA DA CONSULTA DO PACIENTE
 PARA NÃO GERAR NENHUM TIPO DE ANSIEDADE POR ALGUMA DAS PARTES;

 - SE POSSUIR , LEVE RECEITAS E LAUDOS DE EXAMES ANTERIORES

Dra. Andrea F. Nagelstein
Médica Veterinária dermatóloga de cães e gatos
Fone : 51 9981 11689

sábado, 23 de julho de 2016

AVISO

Não haverá atendimento dermatológico entre os dias 27-30 de julho.
Estarei em Congresso para trazer novidades para nossos  bichinhos dermatopatas.
Abraço
Vet Andrea

COMENTÁRIOS E ELOGIOS SOBRE O BLOG

Olá Doutora, fiquei muito feliz em encontrar alguém que esclareça nossas dúvidas . Anônimo Olá! achei suas explicações bem esclare...